SmartPhones Chineses

Smartphones chineses: vale a pena importar para o Brasil?

Em 2007 o mundo conheceu o lançamento do primeiro iPhone: um dispositivo inteligente, chamativo, e muito promissor, mas considerado caro e supérfluo pela maioria dos consumidores. Em 2021, o mundo é inimaginável sem um smartphone no bolso, desde nossa comunicação mais básica com amigos e família até empresas gigantes como Uber e iFood que não existiriam sem esses dispositivos.

            O problema é que o preço dos smartphones subiu de forma desenfreada ao longo dos anos, em especial no Brasil, com modelos que batem a casa dos 6 mil reais. Em muitos casos, fabricantes como Apple e Samsung sabotam seus próprios aparelhos intermediários para trazer a atenção para o aparelho topo de linha, com custo proibitivo para a maioria dos usuários.

            Quase que em paralelo, a indústria dos smartphones chineses cresceu assustadoramente, e hoje abocanha uma fatia de mais de 30% do mercado: Vivo, Oppo, OnePlus, Huawei, e Xiaomi, todas apresentam aparelhos extremamente poderosos, muitas vezes com tecnologias inovadoras não encontradas em outros segmentos, e com preço acessível. Será que um smartphone chinês é uma salvação para quem está no Brasil e precisa de um smartphone bom, por um preço melhor? Confira neste artigo.

            Antes de mais nada, uma dica interessante para a troca China e Brasil é que uma ferramenta como uma VPN brasileira pode desbloquear sites e serviços bloqueados na China e também o processo contrário, é possível definir sua localização como China para obter acesso às redes chinesas, fóruns de discussão, descontos em lojas e até mesmo atualizações antecipadas para o Android.

Tecnologia de ponta

            A ideia de que produtos chineses se resumem a clones de produtos de outras marcas, com qualidade inferior e pouca inovação é uma falácia, que há muitos anos não condiz com a realidade.

Na verdade, os smartphones chineses dos últimos 5 anos têm alavancado as principais inovações no setor: leitor de digital abaixo da tela, câmeras com múltiplas lentes, telas infinitas, sistemas de resfriamento avançado para processadores, foco a laser, NFC, baterias imensas e materiais especiais como cerâmica, são algumas das tecnologias encontradas até mesmo em smartphones chineses de custo médio, e muito antes de aparecerem em qualquer aparelho de marcas ocidentais.

            A fim de comparação, podemos olhar o smartphone Xiaomi Mi 10 Ultra contra o iPhone 12 Pro Max: enquanto o smartphone da Apple custa mais de 9 mil reais, o Xiaomi pode ser encontrado por menos de 3 mil e possui diversas vantagens como número maior de lentes, 48 megapixels, 12GBs de RAM contra 4GBs do iPhone, tela sem notch, velocidades de Wi-Fi e 4G mais rápidas, leitor de digitais debaixo da tela, entre milhares de outras conveniências como USB-C e carregamento rápido.

Importar Smartphone Chineses

Custo benefício

            Embora empresas como a Xiaomi tenham se dedicado à criação de inúmeros itens de tecnologia – de celulares até geladeiras e barbeadores – com alta qualidade “premium”, a verdadeira luta dos smartphones chineses acontece no segmento de baixo a médio custo, dos 800 aos 1800 reais. Diferentemente de propostas tradicionais como a linha A da Samsung, os smartphones intermediários chineses competem para entregar o maior número possível de recursos importantes para os usuários, como câmera e bateria, com o menor custo.

            As empresas chinesas são capazes de entregar produtos mais baratos, sem sacrificar o material e qualidade, pois geralmente fazem parte de conglomerados maiores, como a BBK Electronics, dona da OnePlus, Vivo e Oppo e a segunda maior fabricante do mundo, além de recuperarem parte dos lucros através de serviços por assinatura, e não cobram valores absurdos apenas pelo luxo da marca.

            Além disso, a competição acirrada e a demanda dos consumidores chineses, um dos maiores mercados de smartphones do mundo, garantem que promoções e pacotes com acessórios interessantes como fones de alta qualidade são comumente encontrados.

Importar smartphones chineses para o Brasil funciona?

            A resposta é sim, mas é interessante pesquisar sobre o aparelho antes de comprar. A primeira coisa que devemos nos atentar são as bandas e faixas suportadas pelo modem, elas precisam ser compatíveis com as redes 3G e 4G do Brasil. A boa notícia é que a maioria dos telefones chineses atendem essas especificações.

            Outro ponto de atenção é que o smartphone pode vir sem a loja Google Play e serviços da Google. Isso acontece porque na China há uma infinidade de lojas alternativas, além da dominância de outros serviços como o WeChat e AliPay. Nesse caso, muitas lojas oferecem a instalação dos serviços Google na hora da compra, ou a comunidade em sites como o XDA oferecem pacotes para instalação da loja Google Play em qualquer smartphone, independentemente da origem.

            De qualquer forma, a experiência de um smartphone chinês é equivalente a qualquer outro Android: atualizações do sistema, conexão de alta velocidade, compatibilidade com os aplicativos, e tudo o que você imagina que um smartphone possa fazer.

            A possibilidade de economia é imensa, e em muitos casos, acabamos com um smartphone mais repleto de recursos que qualquer outro concorrente tradicional. A indústria da tecnologia chinesa evolui constantemente, e está longe da ideia antiga de aparelhos falsificados.

           Quer saber mais sobre importação? Saiba mais sobre como importar roupas para revender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *