Importar para revender com dolar alto. Vale a pena?

2
4389

Aprender a importar para revender atualmente é muito importante devido à facilidade de venda desses produtos, e isso pode ser uma grande oportunidade para aumentar seu lucro e ter sucesso em vendas!

Irei tentar aumentar o seu desejo por saber sobre importação e, também, a vontade de querer saber como importar para revender. Para alguns nem preciso escrever muito, tendo em vista que já trabalham com isso, ou em outros casos porque tenham visto neste grande mercado oportunidades de ganhos extras, ou até mesmo de um negócio que oferte renda principal.

No Brasil, muitos empresários se interessam pela importação de produtos para revenda, e a razão é óbvia: alguns produtos importados chegam a ser muito mais baratos que aqui em terras tupiniquins. No caso de produtos importados da China, o diferença chega a ser absurdamente maior.

Então, mesmo que importem apenas para uso próprio ainda vale a pena importar vários tipos de produtos tanto para revenda como para consumo, mesmo com o dólar em valor bem alto como atualmente.

A importação de produtos para revender é um negócio que tem se mostrado bastante vantajoso e isso não é nenhuma novidade para os empreendedores virtuais. 

São vários os casos de sucesso e tomando as providências corretas sempre existe espaço para mais um. Quem deseja abrir uma loja virtual de importados deve começar seguindo os mesmos passos de quem abre um e-commerce em outros nichos de mercado. 

Antigamente não era fácil importar para revender.

Há uns bons anos atrás, o tema importação era discutido apenas por pessoas com alto grau de conhecimento sobre o assunto, pessoas bem relacionadas e que, principalmente, soubessem falar inglês. Nos dias atuais, com o advento da internet e a popularização do acesso, essa atividade não se restringe a essas pessoas, e atualmente indivíduos comuns, como eu e você, podem aprender a como importar produtos para revenda e, o que é melhor, sem precisar saber falar uma palavra em inglês. E acrescento que com a facilidade que atualmente tempos para importar, esta atividade torna-se uma excelente fonte de renda. Importar para revender não é mais um privilégio de poucos e você pode fazer isso aprendendo algumas dicas básicas para saber como importar.

O que há alguns anos era realizado somente através de viagens, nos dias de hoje você pode fazer a uma distância inconcebível naquela época. O que se fazia por telefone, “gastando o inglês” e até pulsos telefônicos, hoje podemos fazer através da internet, comprando em lojas virtuais que atendem você desde o outro lado do mundo. Vendedores oferecendo serviços online em sites de venda coletiva; lojas virtuais das melhores marcas; mídias sociais como Facebook, Twitter, Google+ repletas de pessoas e empresas do mundo todo oferecendo seus serviços e produtos para consumirmos a partir de nossa casa. Mundo globalizado e importar para revender virou tarefa simples e de baixa complexidade.

Atualmente existem 3 formas de importar para revender: 

  1. Utilizar uma empresa de Trading, que fará a intermediação da importação cobrando uma porcentagem do valor da compra; 
  2. Importar através do desembaraço aduaneiro, onde o valor do imposto é atrelado ao produto que você compra, podendo variar de 8% a 100%; e 
  3. Importar por dropship, que é a forma mais conhecida e utilizada, mas que representa alguns riscos tanto para o cliente quanto para o vendedor, conforme explicaremos logo mais.

Vamos estender então a mão e com um toque no teclado e alguns cliques no mouse alcançamos um produto lá na China, e ao mesmo tempo puxamos outro da Europa. Compramos perfumes de lojas americanas com a mesma facilidade que compramos num shopping.

Não há a menor dúvida de que o assunto importação é concorrido e que nós devamos pesquisar e saber mais a respeito. Se você pensa e se preocupa com o alto valor do dólar, saiba que vale também se preocupar com os altos impostos no Brasil e a ganância de nossos empresários quando o assunto for dinheiro.

Hoje, mesmo com o dólar no atual patamar de valor, conseguimos adquirir roupas com valores abaixo até de 50% dos preços praticados no mercado brasileiro. É fato que nem sempre a economia é o suficiente para que haja um bom lucro no que se refere à revenda, porém, o suficiente para nos deixar alegres para consumo próprio.

Comprar roupas que custam R$ 100,00 aqui no Brasil a preços em torno de US$ 8.00, US$ 9.00, US$ 10.00 para baixo ou para cima parece ser bem atrativo, e a atividade de importar para revender ganha força na medida em que o poder de consumo da população aumenta.

Importação é uma das atividades mais rentáveis que existe. É possível começar de forma simples, obtendo uma boa margem de lucro sem necessidade de altos investimentos. Além do mais, é um negócio seguro e uma infinidade de pessoas e empresas se sustentam exclusivamente através disso atualmente. E, ao contrário do que muitos pensam, a flutuação do dólar não atrapalha.

Você não pode ficar de fora, mesmo que não tenha em mente ganhar uma renda importando e revendendo, pois a economia quando comprado para consumo próprio é atraente e, por isso, este não pode ser uma atividade em que você não tenha que estar muito bem informado.

Então… venha comigo aprender e saber um pouco mais sobre como importar produtos para revender e desenvolva esta atividade de forma atraente e divertida.

Abaixo irei passar algumas informações de produtos interessantes para importar, revender ou consumir. Isso mesmo, para uso próprio caso seja essa a necessidade.

O que vale a pena comprar nos EUA e revender aqui no Brasil?

Uma das maiores dúvidas de quem quer saber como importar, é aprender a como importar produtos dos EUA para revender. Acessar produtos americanos e reconhecidos no mercado exige conhecimento sobre as taxas de impostos que podem estar vinculadas a essas mercadorias. Mas nesse segmento, há uma prática de importação por meio da compra em sites americanos a fim de conseguir comprar os produtos com preços mais em conta.

As vantagens incluem: 

  • Maior diversidade de produtos;
  • Lucro mais elevado; 
  • Flexibilidade na gestão das compras;
  • Competitividade maior.

Então, segue uma lista de produtos interessantes para importação:

  • Roupas de marca;
  • Calçados femininos;
  • Maquiagem e produtos de beleza;
  • Acessórios femininos;
  • Eletrônicos;
  • Óculos de sol;
  • Perfumes de luxo;
  • Bonés;
  • Acessórios para celular;
  • Brinquedos;
  • Relógios;
  • Games;
  • Suplementos;
  • Acessórios para carros entre outros.

Como dito acima, a maior dificuldade é o valor do dólar. É preciso prestar atenção na hora de fazer as compras, especialmente de produtos importados americanos. Você deve estar atento a cotação da moeda pois dependendo do valor o lucro poderá ser menor do que você espera. 

Fique sempre atento às taxas de importação cobradas para que não ultrapasse o seu lucro. 

Importar da China

O que importar para revender da China?

Uma excelente estratégia para muitas pequenas empresas é a importação da China. Os produtos fabricados na China, como calçados, roupas, eletrônicos, móveis, artigos de decoração e muitos mais, são populares em todo o mundo e aqui no Brasil já se criou um cultura de consumo muito fore de produtos imporados chineses.

No entanto, não é uma tarefa fácil, especialmente para os iniciantes. O processo de importação pode ser extremamente complexo, confuso e caro. Os ganhos esperados geralmente podem ser apagados por longos períodos de trânsito, custos de entrega crescentes ou flutuantes, taxas regulatórias e atrasos inesperados. Mas não desanime, em nosso blog sobre importação, temos muitas dicas para você se dar bem nessa área.

Além disso, é importante saber como importar produtos legalmente, senão, o seu empreendimento já pode começar com problemas e mesmo prejuízos.

Abaixo seguem algumas dicas simples para você não ter problema ao importar produtos da China.

  1. Identifique seus direitos de importação;
  2. Identifique os produtos para importação;
  3. Encontre fornecedor na China de confiança para realizar o pedido.

O que fazer?

1. Escolha a sua área de atuação

Para entrar neste mercado competitivo é interessante que você comece por produtos baratos e que vendam mais fácil, para não assumir inicialmente grandes riscos. Pense sobre o que você gostaria de vender e quem são as pessoas que irão comprar o seu produto.

2. Defina sua capacidade financeira e seu público-alvo

Se os seus recursos para investir na revenda de produtos importados são limitados, seja prudente na hora de escolher. Então não opte por aqueles muito caros. O ideal é iniciar sua revenda com produtos de preço menor, mas que tenha valor agregado suficiente para te retornar um bom lucro. Um produto importado que esteja dentro de suas possibilidades, para crescer gradativamente e de forma sustentável, no médio prazo, e que te dê possibilidade de posteriormente incluir produtos de valores mais elevados entre suas opções.

Se a sua capacidade financeira for mais ampla, é possível diversificar o portifólio de produtos. Não esqueça de manter o foco. Escolha no máximo 3 tipos de produtos, e conte com a possibilidade de seu cliente fazer encomendas de produtos específicos.

É importante também que você conheça seus público-alvo e saiba de quais mercadorias eles gostam. Analise quem serão seus futuros clientes.

3. Revenda o produto importado ideal, o certo.

A revenda do produto certo vai depender dos fatores mencionados anteriormente: sua capacidade financeira e seu público-alvo. Por exemplo, se seu público for jovem, é comum que compre, artigos esportivos, camisas de times de futebol, roupas, perfumes, calçados, acessórios para celulares e computadores. Já os adultos tendem a comprar acessórios para carros, equipamentos eletrônicos e etc. Descubra qual é o mercado que você mais atinge e revenda aquilo que seu público mais consome.

4. Selecione cuidadosamente os melhores fornecedores.

É essencial que você encontre fornecedores de confiança, se quiser que seus clientes voltem a comprar de você.  Preze pelo seu profissionalismo. Vender produtos de qualidade melhora sua imagem como vendedor e fideliza seus clientes. No caso da China não é tão complicado encontrá-lo em plataformas como o Aliexpress.

Para encontrar os melhores fornecedores, faça pequenas compras em várias lojas diferentes e teste o preço e a velocidade de entrega. Você também pode questionar amigos que importam ou já importaram, participar de fóruns de importação e grupos sobre o assunto nas redes sociais, ou ler blogs sobre o tema.

Uma preocupação constante de quem importa para revenda é a falsificação das mercadorias. Você deve tomar cuidado, especialmente ao comprar perfumes e roupas de marcas famosas. Em muitos casos, a compra nas lojas oficiais ou em grandes varejistas como Amazon Macy’s garante a qualidade das mercadorias.

5. Seja sensato ao formar seu preço de venda.

Tente cobrar um percentual a menos do preço da mercadoria já vendida no Brasil. Tente achar o equilíbrio e alcançar uma boa margem de lucro em cada produto, mesmo com os impostos alfandegários.

6. Use redirecionadores de encomendas sempre que necessário.

O uso de redirecionadores de encomendas nas compras internacionais também pode ser uma boa opção para quem quer importar para revender.  Este é um procedimento para compra em lojas que não enviam produtos para o Brasil, devido às restrições que as próprias marcas impõem em não comercializar tal produto em nosso país. Ótima solução também para consolidar pacotes e economizar no frete.

É um serviço prestado por empresas no exterior que recebem sua encomenda e enviam ao Brasil diretamente para o teu endereço. A grande vantagem é que o redirecionador de encomendas possibilita qualquer compra no exterior. Um exemplo de redirecionador é o US Closer.

7. Trabalhe com estoque ou com dropshipping.

Se a maior parte de suas vendas for realizada em lojas físicas ao invés de virtuais, o ideal é utilizar crie o seu estoque. Ter um estoque, mesmo que pequeno, é interessante para não perder vendas, afinal, muita gente quer comprar na hora e não tem paciência para esperar pela mercadoria. Para não perder esse tipo de cliente, ter um estoque é essencial.

Você pode optar pelo dropshipping que é uma técnica de gestão da cadeia logística, onde o revendedor não mantém a mercadoria em estoque, apresentando seus produtos ao cliente através de catálogo ou página web.

Assim que o pedido de compra é finalizado, o vendedor solicita e paga o fornecedor, que fará todo o processo de embalagem e envio diretamente para o cliente. Os varejistas adquirem os seus lucros sobre a diferença entre o preço de atacado e varejo.

Para trabalhar com dropshipping é preciso apenas que você tenha um computador e acesso à Internet, além de muita determinação.

8. Controle seus investimentos, vendas e lucro.

Finalmente é fundamental que você tenha o controle sobre seus investimentos, vendas e lucros. Se você pretende vender os produtos em um e-commerce, é essencial que tenha um back office eficiente. Para que fique claro, back office é toda a estrutura física montada por trás de uma loja virtual, como a logística, gerenciamento de pedidos, estoque, faturamento etc.

Existem várias plataformas de back office e ERP caso você sinta necessidadde de uso. Basta uma boa pesquisa no Google e receberá uma enxurrada de informações.

Quero agradecer por ter chegado até aqui e não se esqueça de curtir minha fanpage ADZ Imports caso ainda não tenha feito. Através dela deixarei todos atualizados a respeito das postagens no blog.

Abçs e até o próximo artigo.

2 COMENTÁRIOS

  1. […] Lembre-se que os passos são simples como escolher produtos e fornecedores, enviar para um endereço nos EUA, preencher declaração de nota e consolidar, enviar para o Brasil e rastrear até que por fim receber o tão esperado produto. Sabemos que é trabalhoso, mas compensa mesmo com o dólar alto como explicado no post se vale a pena ou não importar nas atuais condições do dólar. Leia aqui. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here